Suzuki lançou as novas V-Strom 1050 Partilhar

Suzuki lançou as novas V-Strom 1050

São duas as novidades da Suzuki no salão EICMA, em Milão: as V-Strom 1050XT e V-Strom 1050, reveladas esta terça-feira. Seguem o conceito de design The Master of Adventure, concebidas para que qualquer condutor consiga maximizar a sua própria aventura.

No 'coração' das duas motas está uma nova versão do motor de dois cilindros em V 90º que cumpre as normas Euro5 ao mesmo tempo que tem um aumento de potência de sete por cento para os 107,4cv. O acelerador ride-by-wire é uma novidade, tal como o é oSuzuki Intelligent Ride System. A chegada das motas aos concessionários deve acontecer na primavera de 2020.

Motor
O propulsor das novas V-Strom 1050 é de 1.037 centímetros cúbicos de cilindrada, com dois cilindros em V. As câmaras de admissão e escape foram redesenhadas, os pistões são forjados e leves, enquanto o radiador é novo aumentando a capacidade de arrefecimento em 15 por cento. Há também um novo refrigerador de óleo. Associada ao propulsor está uma embraiagem deslizante que ajuda em reduções de caixa mais suaves e ação da manete mais leve.

Chassis
O quadro da V-Strom 1050XT é dupla trave em alumínio chassis, conjugado com um braço oscilante em alumínio. O baixo peso, dimensões compactas e estreitas asseguram facilidade de gestão aos condutores, independentemente das condições. Além disso, é possível pousar os pés no chão facilmente quando a mota está parada e a agilidade sai beneficiada.

As forquilhas dianteiras são da KYB, totalmente ajustáveis e invertidas. O amortecedor traseiro pode ser ajustável em pré-carga e ressalto. Em termos de travões, à frente há pinças radiais e dois discos de 310 milímetros. O guiador é rígido mas leve, tendo sido concebido com a ergonomia do condutor em mente quer em condução sentada, quer em condução de pé.

Há novos poisa-pés que permitem ao condutor levantar-se mais facilmente para conduzir fora de estrada. As rodas são em alumínio leve DID, com as jantes de raios a medirem 19 polegadas à frente e 17 polegadas atrás. Assim, garante-se um rendimento satisfatório numa ampla diversidade de pisos e condições de condução. Os pneus são Bridgestone Battlax Adventure A41 radiais.

Eletrónica
Aas novas Suzuki possuem um vasto pacote de eletrónica. Desde logo, há um novo acelerador ride-by-wire que proporciona uma sensação natural e linear. Este faz parte de uma Controller Area Network (CAN) mais ampla, que garante uma transmissão de dados mais rápida e menos cabos. Incluída nessa rede está a nova unidade de medição de inércia (IMU) de seis direções da Bosch, que monitoriza diversos parâmetros com base no ângulo de inclinação e aceleração.

A informação recolhida pela IMU ajuda à gestão do Motion Track Brake System, um sistema atualizado com ABS sensível ao ângulo de inclinação. O sistema também aplica automaticamente pressão ao travão traseiro por forma a ajudar à desaceleração controlada no caso de a pressão do travão dianteiro subir até determinado grau. Se o condutor travar de repente a meio da curva, o sistema ajuda a manter a trajetória pretendida.

Há dois modos de ABS, consoante as condições do piso e de condução. O Motion Track Brake System inclui um controlo dependente da inclinação que otimiza a pressão entre os travões dianteiro e traseiro por forma a manter o controlo e evitar que a roda traseira levante em travagens fortes nas descidas. Já o controlo dependente da carga permite que a unidade ABS perceba constantemente as mudanças na desaceleração através da entrada de pressão hidráulica quando a carga aumenta ou diminui.

Outra ajuda proporcionada pelo sistema é o controlo de bloqueio em declive, com o travão aplicado automaticamente quando a mota está parada em subida. Assim, não só se facilitam os arranques como também se previne que a mota descaia – sobretudo quando estiver carregada com bagagem. O controlo de tração é de três modos, sucedendo ao anterior de dois modos, podendo igualmente ser desativado. Cada modo tem os próprios parâmetros em termos de resposta de acelerador. Por fim, de referir que a Suzuki V-Strom inclui as versões mais recentes da assistência em baixas rotações por minuto do motor e função de arranque fácil.

Estilo moderno que evoca um clássico
As novas Suzuki V-Strom têm um novo design, que no essencial é uma visão moderna do estilo das DR-Z de competição e DR Big de produção. O bico na dianteira que agora distingue as motas de aventura foi estreado na DR-Z, surgindo com um novo design que realça ainda mais a associação enquanto confere uma imagem mais agressiva. O depósito de combustível também segue formas da DR-Z.

Em termos de cores, estas também prestam tributo aos modelos históricos, com um cor-de-laranja e branco semelhante ao original da DR-Big. Depois, há uma versão em amarelo remetendo à tradição da Suzuki no motocross e no todo-o-terreno. As proteções de mãos fazem parte do equipamento de série, tendo um novo desenho mais angular. Os espelhos são igualmente novos.

A aparência é complementada pelo acabamento de diversos elementos externos do motor em bronze. O farol dianteiro retangular e vertical novo é em LED, mesma tecnologia aplicada à luz traseira e aos indicadores de mudança de direção.